Terapia da Fala

1/2

   O Terapeuta da Fala é o profissional responsável pela prevenção, avaliação, intervenção e estudo científico das perturbações da comunicação humana, englobando não só todas as funções associadas à compreensão e expressão da linguagem oral e escrita, mas também outras formas de comunicação não-verbal e Estetica facial. O Terapeuta da Fala intervém, ainda, ao nível da deglutição (passagem segura de alimentos e bebidas através da orofaringe, de forma a garantir uma nutrição adequada).

   

   O Terapeuta da Fala avalia e intervém em indivíduos de todas as idades, desde recem nascidos as idosos, tendo por objetivo geral otimizar as capacidades de comunicação e /ou deglutição do indivíduo, melhorando assim, a sua qualidade de vida (ASHA, 2007).

 

   O Terapeuta atua em equipa com: Médicos, Professores, Otorrinolaringologia, Odontologia, Ortodontia, Médicos dentistas, Audiologistas, Psicólogos, Fisioterapeutas …

 

   O Terapeuta da Fala ajuda-lo-á a compreender o que faz parte de um desenvolvimento “saudável” e o que necessita de uma intervenção profissional. Somente o diálogo com um Terapeuta da Fala o auxiliará a adotar procedimentos favoráveis e  promotores  às dificuldades que se apresentam no momento.

 

Alguns sinais de alerta:

 

- Não realiza contacto ocular;

- Tem dificuldade em reconhecer vozes familiares;

- Dificuldade na interação social;

- Menor capacidade em iniciar, manter e responder a uma interação, ou seja, em estabelecer uma conversa ou um diálogo;

- Obstáculo no cumprimento de ordens;

- Dificuldade em adquirir linguagem;

- Não consegue lembrar-se das palavras;

- Confusão de palavras com uma pronuncia semelhante;

- Faz frases com uma estrutura gramatical incorrecta;

- Não descreve acontecimentos, como, relatar o seu dia;

- Dificuldade a ler e a escrever;

- Tem um tipo de voz rouca ou perde a voz;

- Fala muito depressa e alto;

- Respira pela boca;

- Não controla a respiração durante o discurso;

- Tem uma voz nasalada;

- Fica com a voz “presa” na garganta;

- O discurso é imperceptível;

- Ocorre omissão ou substituições de sons nas palavras;

- Faz repetição ou prolongamento de sons/sílabas/palavras;

- Ocorrem bloqueios no discurso;

- Em bebé, tem dificuldade na sussão, tanto na mama, como chucha ou biberão;

- Dificuldade em mastigar;

- Não controla bem o alimento na boca;

- Tem necessidade de engolir várias vezes seguidas;

- Tem engasgos frequentes;

- Tem grande necessidade de beber líquidos depois de ingerir alimentos sólidos;

- Tem uma expressão facial limitada/alterada;

- Alteração na mobilidade, sensibilidade e tónus, da face e estruturas orais.